terça-feira, 24 de outubro de 2017

Atividades para apoiar o ensino do Português como Língua de Herança




Ao longo dos anos a oferta de material de apoio ao ensino do Português como Língua de Herança tem crescido bastante. Quando minha filha era pequena tínhamos que improvisar, por exemplo fazendo colagens de textos em português em livros didáticos ingleses ou franceses, criando nossos próprios jogos, e assim por diante. Minha irmã, que era a professora da nossa escolinha, passava dias e noites adaptando e desenvolvendo material para ser usado nas aulinhas do final de semana.  Haja amor e dedicação!  Hoje encontramos material de excelente qualidade disponível de graça na internet, o que facilita muito o trabalho dos pais e professores. No entanto, pelo material estar disperso em inúmeros websites diferentes, muita gente tem dificuldade de encontrá-lo e de “separar o joio do trigo”. Por essa razão perguntei à professora de Português como Língua de Herança Rita de Albuquerque Dorneles (ex-Breacc, atualmente na Associação Raízes de Genebra) se gostaria de compilar uma lista de websites que pudesse servir de referência a pais e professores, para publicação aqui no blog. O texto gentilmente preparado por ela segue abaixo. 

Atividades para desenvolver o POLH

Por Rita de Albuquerque Dorneles

Uma das coisas que mais chamou minha atenção quando iniciei a minha caminhada no ensino de Português como Língua de Herança (POLH) foi a carência de materiais próprios para esta finalidade. Quando comecei nessa estrada, em 2012, logo notei que a maioria dos professores de POLH eram na verdade mães dispostas a ensinar a sua língua a seus filhos e que, mesmo sem nenhum tipo de formação na área pedagógica, doavam seu tempo, sua energia e sua intuição para tentar atingir o seu objetivo. Isso levou ao aparecimento de inúmeras iniciativas (ou escolinhas, como prefiro chamar), sempre juntando mães, boa-vontade, intuição e muita criatividade, para gerar atividades interessantes para a garotada.  

Mas nem todas as famílias têm uma iniciativa próxima de casa, ou tempo para levar seus filhos a uma escolinha. Nesses casos surge a necessidade de os pais desenvolverem sozinhos em casa atividades que efetivamente ajudem seus filhos a aprender e usar a língua portuguesa. 

Invariavelmente os pais correm para a internet em busca de websites que possam auxiliá-los nessa caça ao tesouro que é encontrar atividades para fazer com seus filhos. Mas é importante lembrar sempre que não existem milagres no bilinguismo ou plurilinguismo. O que existe é muita persistência, determinação e dedicação dos pais. Não há website no mundo que vá ensinar o seu filho a falar português apenas porque ele está ali jogando, pintando ou escrevendo. 

Também é importante entender que as atividades que encontramos na internet não são produzidas com o objetivo de ensinar português como uma língua de herança e servem apenas para desencadear diálogos entre pais e filhos em português, treinar vocabulário, etc. Esse material geralmente é desenvolvido para crianças que vivem no Brasil ou em outros países lusófonos, que utilizam a língua portuguesa no seu dia a dia - normalmente crianças monolíngues, que usam as atividades para praticar um determinado conceito gramatical ou apenas para se divertir mesmo. 

Para os pais que estão tentando apoiar o aprendizado de seus filhos em casa, segue abaixo uma lista de ótimos websites com atividades para crianças, bem como detalhes do conteúdo de cada um. 

http://sitio.globo.com/ - Website baseado na obra de Monteiro Lobato, além de contar com desenhos animados, possui também uma seção de jogos educativos (brincar).

http://turmadamonica.uol.com.br/ - Neste portal, baseado nos personagens de Maurício de Souza, você encontrará inúmeras formas de praticar o português com  seu filho. Lá você encontra HQ, tirinhas, detalhes sobre cada personagem, vídeos, jogos e muito mais. 

http://educajogos.com.br/jogos-educativos/ - Este website possui uma seleção de jogos pedagógicos que auxilia crianças de várias faixas etárias. Você encontrará jogos que envolvem conhecimento da língua portuguesa e outros que auxiliam na aprendizagem da língua. 

http://triboeduca.grou.ps/home - Comunidade virtual que tem como objetivo unir crianças e jovens do mundo todo para desenvolver atividades/projetos em língua portuguesa. Foi idealizado para auxiliar a propagação da nossa língua e desenvolver o intercâmbio entre crianças e jovens de todos os cantos do planeta. 

http://www.hubeditorial.com.br/leituras-graduadas-ple/ - Website com uma seleção de textos adaptados para compreensão de leitura e aumento de vocabulário. Os textos são materiais de apoio e leitura destinados a alunos e professores de português como língua estrangeira, como segunda língua e como língua de herança,. É possível utilizar a série desde o nível inicial de proficiência.

http://educarparacrescer.abril.com.br/mpb/ - Website dedicado a educação em geral com muitos recursos pedagógicos.

http://palavracantada.com.br/ - Website oficial do grupo Palavra Cantada com vídeos, brincadeiras e músicas. 

http://biabedran.com.br/ - Website com material educativo de muita qualidade. Bia Bedran é profissional de contação de histórias e histórias musicadas. O website contém videos, musicas, histórias e é direcionado principalmente a crianças pequenas. 

http://revistaescola.abril.com.br/vem-que-eu-te-conto/ - Contação de histórias pelo próprio autor. Website da revista Nova Escola.

http://www.smartkids.com.br/ - Website destinado a diversão da garotada. Muitos jogos, passatempos, vídeos e muito mais. Na seção “Especiais” você encontrará artigos sobre temas interessantes com linguagem didática e divertida. Ótimo lugar para pesquisas sobre qualquer área educativa. 

http://www.canalkids.com.br/portal/canal/index.htm - Portal destinado a crianças e jovens com muitos recursos. Vídeos, leituras, filmes e muito mais. Na seção ‘Cultura’ vocês encontrarão todos os tipos de assuntos em textos deliciosos, divertidos e pedagógicos. É um website para ser explorado com calma e por toda a família reunida. 

http://www.escolagames.com.br/ - Para a criançada que gosta de jogar. Jogos educativos em português.

http://www.pandajogosgratis.com/pt/mais_jogos/jogos_educativos/ - Portal de jogos educativos para crianças.

http://clientes.netvisao.pt/mcharrao/jogoseducativos/ - Website de jogos pedagógicos para várias idades. 

http://www.jogosgratisparacriancas.com/ - Jogos para bebês e crianças pequenas. 


Foco deve ser oralidade 

Além das atividades de apoio, o melhor que a família pode fazer em casa é usar a língua portuguesa como parte de sua rotina, criando assim fluência, repertório linguístico, intimidade com a língua. O foco em casa deve ser mesmo a oralidade em um primeiro momento. Longas conversas, brincadeiras, assistir filmes, ler histórias, gibis, fazer comida, tudo pode ser feito em português. Quanto mais íntimo da língua seu filho se sentir, mais fácil será para ele posteriormente fazer transferência de conhecimentos entre a língua local e o português.

É importante também que as crianças convivam com outras pessoas que falam português fora de seu núcleo familiar. Elas precisam entender que não são as únicas a usar aquela língua, que outras pessoas também falam como elas e que as entendem. Se as outras pessoas forem crianças, então, é perfeito! Esse é de fato um dos maiores benefícios das escolinhas espalhadas pelo mundo: as crianças têm a oportunidade de interagir com outras crianças, cantar, falar, fazer amigos em português. Eu sempre recomendo aos pais levar seus filhos para uma iniciativa, e garanto que o resultado final é sempre maravilhoso.

Boa sorte!




quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Livros, televisão, smartphones e o desenvolvimento da linguagem



Pesquisadores afirmam que ver televisão ou brincar com aplicativos de smartphones não tem nenhum efeito sobre o desenvolvimento da linguagem de crianças - desde que os pais passem tempo lendo para elas.

Um estudo publicado no Journal of Children and Media concluiu que quando pais ou cuidadores lêem para crianças pequenas a exposição das crianças a televisão ou dispositivos touchscreen não afeta o tamanho do seu vocabulário.

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Salford e do Centro Internacional de Linguagem e Desenvolvimento Cognitivo da Universidade de Lancaster usou questionários on-line para obter dados de 131 pais de crianças entre 6 e 36 meses de idade. Os pais receberam uma série de perguntas sobre a quantidade de tempo que em um dia típico seus filhos passavam assistindo TV, usando dispositivos como telefones ou tablets inteligentes ou lendo histórias. Eles também foram convidados a completar o inventário de desenvolvimento comunicativo do Reino Unido (CDI) - uma lista detalhada de palavras de diferentes categorias que seus filhos podiam dizer e entender. Das famílias pesquisadas, 99% liam diariamente para as crianças, 82% assistiam a televisão e 49% usavam dispositivos móveis de tela sensível ao toque.

Os pesquisadores encontraram uma relação positiva entre a quantidade de tempo dedicada à leitura e o tamanho do vocabulário das crianças, mas não entre o tempo gasto assistindo televisão ou usando dispositivos móveis e o tamanho do vocabulário.

Segundo um dos pesquisadores, este estudo confirma que ler um livro para uma criança pequena é uma das maneiras mais importantes de apoiar a aprendizagem de línguas. Apesar da forma como nos comunicamos estar mudando com a nova mídia, ainda não há ferramenta melhor do que ler livros juntos para promover a comunicação infantil. 

Os resultados do estudo mostraram que o tamanho do vocabulário das crianças não foi afetado pelo tempo em frente aos dispositivos móveis porque os pais ainda passavam tempo lendo para elas. A amostra analisada era constituída por famílias altamente educadas e para pesquisar esta questão de forma mais ampla os pesquisadores dizem que precisam estudar um grupo muito maior de famílias.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

No Brasil, colônias de imigrantes preservam idiomas e tradições quase perdidos nos países de origem



Em novembro de 2010 publiquei o post “Bilinguismo – De volta ao futuro”, no qual descrevo a experiência bilíngue de meu pai, que cresceu numa colônia polonesa no Paraná, onde se falava apenas polonês. Os fundadores da colônia tinham saído da Europa no início do século passado e não tinham mais tido contato com seu país de origem. Consequentemente, ensinaram a seus descendentes nascidos no Brasil o polonês falado na Polônia no início do século 20. Quando visitou a Polôniamais de 70 anos depois da ida desses imigrantes para o Brasil, meu pai percebeu que falava um polonês antigo, cheio de palavras que tinham caído em desuso há muito tempo e não sabia que palavras usar em polonês pra se referir a certas coisas com as quais não tinha tido contato na infância, como por exemplo televisão, computador, etc. 

Os poloneses que interagiram com meu pai durante essa viagem acharam aquilo extraordinário, mas o caso dele não é único. No Brasil, muitas colônias de imigrantes, como aquela onde meu pai cresceu, preservam idiomas e tradições quase perdidos nos países de origem. Isso apesar da proibição de idiomas estrangeiros que prevaleceu no Brasil durante a Segunda Guerra Mundial, que acabou intimidando muitos dos falantes de outras línguas.

Agora, pesquisadores querem saber como esses idiomas e tradições ainda estão vivos quase dois séculos depois do início da imigração do século 19. 

Um artigo publicado nesse final de semana no jornal Folha de S. Paulo conta a história de uma colônia em Colombo, também no Paraná, onde algumas pessoas ainda falam o “vêneto”, dialeto da terra dos pais e avós que quase não existe mais nem na Itália. O artigo também menciona descendentes de alemães do oeste catarinense que usam “zepelin” como sinônimo de avião e “caminhong” para caminhão, algo que não existia na época da imigração. "É uma outra dinâmica: são pequenos municípios, a maioria de cunho rural, onde a mobilidade é muito pequena ... É praticamente aquela língua que chegou ao Brasil em 1824", diz Cristiane Horst, que estuda “hunsriqueano”, um dialeto germânico falado no Brasil. 

As colônias de imigrantes também preservam tradições que muitas vezes se perderam no país de origem. Por exemplo, o costume ucraniano da “pêssanka”, ovos decorados para comemorar a Páscoa, atualmente é mais forte no Brasil do que na Ucrânia. "Tudo foi proibido durante o regime soviético; quem mantinha era em segredo", diz Mirna Voloschen, da Sociedade Ucraniana do Brasil. Brasileiros que estiveram na Ucrânia depois que o país se tornou independente até ajudaram a revitalizar o costume do “pêssanka” lá.

Segundo o antropólogo Paulo Guérios, que estudou a imigração ucraniana no Paraná, os costumes e idiomas só permanecem se ainda fizerem sentido -- e é natural que se mesclem à cultura brasileira.


O artigo da Folha de S. Paulo pode ser acessado aqui



.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...